Missão

Produzir alimentos e plantas medicinais em sistemas agroflorestais, resgatando a saúde do solo e das pessoas, com trabalho humanizado, educação e desenvolvimento espiritual.

Nossa história

O Sitião Agroflorestal, também conhecido como Sítio São Sebastião, está localizado no município de Terra Roxa, na região de Ribeirão Preto - SP. A propriedade possui 40 hectares e desde 2014 vem agroflorestando as terras que margeiam o Rio Pardo, cuidando do solo e das pessoas.

Historicamente, a propriedade foi ocupada pelos cultivos de arroz, soja, milho, feijão e algodão até a década de 1980. Posteriormente com monocultura da laranja e pastagens, e mais recentemente, em 2010, com monocultivo da cana-de-açúcar.

A fazenda foi adquirida em 2014 e, a partir desse ano, iniciou-se o processo de transição da cana de açúcar para os sistemas agroflorestais e sintrópicos. O primeiro foco produtivo foi a Rainha e Jagube, plantas de poder usadas na produção da “Ayahuasca”, bebida utilizada nos rituais do Santo Daime.

Os primeiros moradores - Pelicano, Jacy, Ailton, Lucas, Calé e Ivair - deram vida ao lugar, que se encontrava em situação de abandono. Pelicano sempre muito bem humorado apelidou a Fazenda São Sebastião de “Tião”, e assim originou-se o atual nome (Sitião).

Em 2015, a produção de hortaliças começou a ganhar destaque. A cana foi dando espaço para a produção de hortaliças em sistemas agroflorestais. A venda dos legumes, frutas e verduras eram feitas por meio de cestas e feiras na região.

Em 2016, com a chegada de um novo colaborador, o Gabriel Mhereb, foi realizado o primeiro Estágio Agroflorestal, momento em que o Sitião recebeu voluntários interessados em trocar a mão-de-obra por conhecimento em agrofloresta. Essas vivências aconteciam com frequência, o que trouxe muitos frutos! O Sitião começou a ser reconhecido e a procura por visitas e vivências propiciou o início do trabalho na área de educação ambiental. Atualmente, o Sitião Agroflorestal oferece cursos, visitas e vivências para um público diversificado e formado por crianças, jovens e adultos.

Ainda em 2016, teve início a estruturação da Agroindústria, que possibilitou processar alguns produtos, com destaque para o beneficiamento de bananas e mandiocas da agrofloresta.

Em 2017, uma parceria comercial levou o Sitião a um caminho diferente. Foram ampliadas as áreas de agrofloresta para a produção de plantas medicinais com foco em moringa, cúrcuma e ginseng. Com isso, iniciou-se o processo de certificação orgânica pelo Instituto de Biodinâmica (IBD), empresa brasileira referência no ramo.

Em 2018 o certificado foi aprovado possibilitando a venda dos produtos in natura orgânicos. Nesse mesmo ano, a agroindústria foi adequada para o processamento das plantas medicinais.

Atualmente o Sitião Agroflorestal conta com 11 funcionários que se dedicam ao cultivo de aproximadamente 9 hectares de plantas medicinais em sistemas agroflorestais, ao beneficiamento desses produtos, comercialização e gestão da propriedade rural! O trabalho é realizado com muito carinho, amor e dedicação ao próximo e a terra.

Produção animal: Galinhas, codornas, abelhas e peixes.

O Sitião tem um sistema experimental de criação de galinhas e codornas caipiras. A produção é pequena e conta com 50 galinhas e 20 codornas com o objetivo de fornecer ovos para a demanda interna do sítio e para os funcionários.

As aves são criadas seguindo as recomendações de bem-estar animal, de produção caipira e orgânica da legislação brasileira.

Além disso, está sendo instalado um sistema de fertirrigação para criação de cerca de 1.000 tilápias também para o consumo interno.

O local também conta com uma pequena produção de mel; são cerca de cinco enxames de abelhas apis (apicultura) e inúmeros enxames de abelhas nativas sem ferrão (meliponicultura).

Instalações de permacultura

O Sitião possui estruturas de ecossanemaneto: fossa ecológica e círculos de bananeira. Por isso toda água (cinza e negra) são tratadas e retornam limpas para o solo

Composteira

100% dos resíduos frescos (orgânicos) produzidos na cozinha e agroindústria têm como destinação final a compostagem.

Centro de reciclagem:

A proposta é reciclar todo material que possa ser reaproveitável, como papelão, plásticos, vidros e metais. A missão é zerar a produção de lixo proveniente do consumo inconsciente.

Educação Ambiental

O Sitião oferece cursos, visitas e programa de voluntariado. Mas devido a pandemia de Covid-19 foram suspensos.

veja abaixo algumas FOTOS DO PROJETO

Conheça nossos outros projetos